Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Justiça dos EUA condena membro da CIA por vazamento de dados e CPJ pede que Obama dê exemplo na defesa da liberdade de expressão




John C. Kiriakou se tornou o primeiro agente da CIA a ser condenado pelo vazamento de informações para a imprensa, informou o The New York Times. Segundo o jornal, Kiriakou passará 30 meses na prisão por revelar a identidade de um espião da agência de inteligência dos EUA a um repórter, além de informações sobre uma controversa técnica de interrogatório.

Kiriakou não foi o único funcionário do governo acusado de vazar informações para a imprensa durante o mandato do presidente Barack Obama. Desde a posse de Obama, em 2009, cinco funcionários e ex-funcionários do governo foram acusados de repassar dados confidenciais para jornalistas - mais do que outros governos, destacou o Times.

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) pediu a Obama que se lembre de seu objetivo de ser a “administração mais transparente da história” e use seu segundo mandato para dar exemplo na defesa da liberdade de expressão e no acesso à informação.

Segundo o CPJ, durante o primeiro mandato de Obama, seu governo “repetidamente lançou mão de seus privilégios, lutou contra pedidos de acesso à informação e partiu contra quem vazou informações confidenciais”.

Ativistas elogiaram o presidente por assinar o Whistleblower Protection Enhancement act em novembro de 2012, informou o Mother Jones, ampliando a proteção a pessoas ligadas à segurança nacional e quem tem contratos com o governo. Porém, o CPJ destacou que o presidente incluiu uma “grande brecha” na aplicação da lei.

Segundo o CPJ, algumas organizações temem que os processos contra quem vaza informações podem acabar levando a acusações contra a imprensa no futuro. Jornalistas já foram chamados para testemunhar e expor fontes confidenciais.

Outras culpam o WikiLeaks pela postura agressiva do governo. O presidente do Equador, Rafael Correa, concedeu asilo ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para impedir sua possível extradição e julgamento nos EUA.

Kiriakou é a primeira pessoa condenada segundo o Intelligence Identities Protection Act em 27 anos, de acordo com o Times. O repórter para o qual o ex-membro da CIA vazou informações não publicou o nome do agente infiltrado, mas o Times destacou que a identidade dele apareceu em site “obscuro”.



No comments

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.


Assine o boletim semanal

Receba nosso boletim semanal sobre jornalismo nas Américas.

Escolha seu idioma:

English
Español
Português

Por favor, digite seu e-mail:

Facebook

Comentários recentes