Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Assassinato de jornalista no Peru levanta debate sobre segurança



Tomada del grupo en Facebook ‘Justicia para Luis Choy’.

No último dia 23 de fevereiro o repórter gráfico do jornal El Comercio, Luis Choy, foi assassinado na porta de sua casa por dois desconhecidos que dispararam três tiros, informou o portal Perú 21. O acontecimento colocou em debate público diferentes aspectos do país, como a segurança dos cidadãos, segurança para jornalistas e também o tipo de cobertura dado aos acontecimentos violentos.

As primeiras versões do caso vincularam o ataque do jornalista a uma tentativa de assalto de seu carro e outros pertences, acrescentou o portal. Por causa da onda de crimes vivida pelo país nos últimos dias – que incluem o assassinato de um empresário, bem como o de um oficial de polícia ao tentar impedir um roubo –, o acontecimento gerou ainda mais repúdio na comunidade, que pediu ao governo maior controle, noticiaram veículos como o Perú 21, La Prensa e editoriais. 

O caso, no entanto, ainda não está claro após a  Polícia Nacional ter descartado a hipótese do roubo ao constatar que nenhum dos pertences do jornalista havia sido furtado, bem como a possibilidade de que Choy havia conversado antes com seu assassino, informou o jornal El Popular.

Em um protesto, com cartazes que diziam “Nossos disparos nã matam: Luis Choy, justiça”, repórteres gráficos e amigos exigiram das autoridades justiça e segurança, publicou o portal La Prensa. “Como associação, exigimos às autoridades que façam algo a respeito, que ajam e encontrem os responsáveis o quanto antes", comentou um integrante da Associação de Fotojornalistas do Peru, publicou o jornal El Comercio.

O jornalismo também recebeu críticas em relação à cobertura de acontecimentos violentos. O coletivo de repórteres gráficos NN Fotógrafos criticou a vertente do jornalismo que “converteu a desgraça em uma crônica diária do horror”, informou o portal Perú 21. Para o grupo, os meios de comunicação fazem uma exposição da desgraça, mas com pouca crítica ao governo sobre o tema. "Como todos os dias se mostra o sangue dos desafortunados, todos os dias o jornalismo deve lembrar o público e ao governo do presidente Ollanta Humala que vivemos em um país inseguro”, acrescentou o grupo, segundo o portal.

De sua parte, em seu pronunciamento sobre o assunto, o presidente disse ter exigido resultados da polícia que permitam esclarecer o assassinato do jornalista, informou o portal Trome. Por isso, a polícia anunciou que uma equipe especializada ficará responsável por investigar as razões do assassinato do jornalista, informou o jornal El Comercio. 




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook