Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Governo venezuelano pede cuidado à imprensa após morte de Chávez; mais jornalistas são agredidos no país



Pelo menos outras duas equipes de jornalistas tiveram seus trabalhos impedidos na Venezuela enquanto cobriam eventos relacionados à morte de Chávez, na última semana. Na quinta-feira, 7 de fevereiro, o correspondente da emissora América Noticias Luis Alfonso Fernández e o cinegrafista do canal Alberto Porras foram intimidados e ameaçados por pessoas identificadas como simpatizantes do governo, informou o Instituto Imprensa e Sociedade (IPYS) da Venezuela. Como mostra o vídeo do incidente, o repórter e o cinegrafista gravavam imagens perto da Academia Militar da Venezuela, onde estava sendo realizada uma homenagem a Chávez, quando um grupo de manifestantes rodeou o jornalista, gritando e interrompendo a gravação com ameaças. Em outro caso, membros do partido União Popular Venezuelana (UPV) que protestavam em frente à sede da Globovisión (que mantém uma relação bastante conflituosa com o governo) ameaçaram com armas de fogo e intimidaram uma equipe de reportagem que chegava à emissora naquele momento, informou o Ifex. Preocupado com atos de violência após a morte do presidente do país, o ministro das Relações Exteriores, Elías Jaua, afirmou que o governo pediu aos veículos privados "muita consciência e e muita responsabilidade", noticiou a EFE. "Não permitam que os que queiram ver a Venezuela intervinda provoquem situações de violência, provoquem situações que fragmentem a união nacional e que ponham em jogo a independência nacional", completou o ministro.




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook