Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Organizações de defesa da liberdade de expressão instam presidente do Peru a não assinar lei de crimes informáticos



Lei de Crimes Informáticos, também chamada ‘nova lei Beingolea’ ou ‘lei Frankestein anti-Internet’ por alguns de seus críticos, foi aprovada quase por unanimidade no Congresso peruano em 12 de setembro. Se for assinada pelo presidente Ollanta Humala, pode por em sério risco o direito à liberdade de expressão e o direito constitucional ao segredo das telecomunicações dos peruanos, como explicou em seu portal a ONG Hiperderecho.

O projeto de lei aprovado pune os crimes de violação à intimidade mediante a obtenção de dados pessoais, ao segredo das comunicações, à difusão indevida de dados ou informação de carácter pessoal e o tráfico de material de pornografía infantil. Estes crimes seriam punidos com até seis anos de prisão, publicou Infobae.

Para Miguel Morachimo, diretor da ONG Hiperderecho, a lei apresenta erros de conteúdo e forma, pois seu texto foi trocado durante o recesso da sessão de votação no Congresso, sem que se pudesse questionar as mudanças feitas, como a penalização de opiniões supostamente discriminatórias na Internet. Não houve uma consulta cidadã “nem um debate participativo e informado” do novo conteúdo da lei aprovada pelos legisladores, pelo que Hiperderecho solicita ao presidente Ollanta Humala devolver o projeto ao parlamento para maior análise.   

O autor do questionado projeto de lei, Juan Carlos Eguren, descartou que ele afete os direitos de privacidade ou que ponha em perigo a liberdade de informação na rede, afirmando que “a norma combate os riscos a que estão expostos os usuários da rede”, segundo o site Perú.com.  

O site da organização Access, que zela pela proteção dos direitos humanos e civis na Internet, publicou que a mencionada lei eliminaria o anonimato online, obrigaria as empresas a cumprir pedidos governamentais sobre os dados pessoais dos usuários e ameaçaria os internautas com pena de prisao por suas atividades na rede.

Diversas organizações latino-americanas também dirigiram uma carta ao Congresso peruano pedindo maior atenção e cuidado na modificação do código penal no que diz respeito à incorporação da nova classificação do crime informático, já que estas podem terminar afetando os direitos ao devido processo legal, à privacidade e à liberdade de expressão. 

Na carta fazem menção à ratificação do Peru à resolução 20/8 do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, sobre a ‘Promoção, Proteção e Gozo dos Direitos Humanos na Internet”, que enfatiza o direito à liberdade de expressão e de opinião de qualquer pessoa “tanto no mundo offline quanto no online”.  




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook