Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Jornalistas mexicanos recebem ameaças por cobertura da prisão do narcotraficante “El Chapo” Guzmán




Arresto del narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán Loera. Foto: Alfredo Estrella/AFP/Getty Images.

O Grupo Editorial Noroeste do estado mexicano de Sinaloa pediu no dia 25 de fevereiro a organismos federais proteção para jornalistas ameaçados durante uma investigação sobre Joaquín “El Chapo” Guzmán, de acordo com o Noroeste.

Em 23 de fevereiro, os repórteres do periódico em Mazatlán receberam duas ameaças telefônicas advertindo que não publicassem matérias vinculando policiais municipais ao círculo de segurança do narcotraficante Joaquín Guzmán Loera, líder do Cartel de Sinaloa, que foi preso um dia antes na misma cidade. Ademais, um repórter fotográfico do veículo foi obrigado a apagar imagens tiradas no local da captura por homens das forças armadas mexicanas.

O grupo apresentou sua queixa na Promotoria Especial para a Atenção de Crimes Cometidos contra a Liberdade de Expressão (FEADLE) da Procuradoria Geral da República (PGR). Anteriormente, se queixaram na Comissão Estadual dos Direitos Humanos (CEDH), que pediram às autoridades estaduais e de Mazatlán e Culiacán para proteger os jornalistas e seus direitos.

Guzmán foi capturado no sábado, 22 de fevereiro, em um condomínio de praia durante uma operação dirigida por forças de segurança mexicanas com ajuda de agentes americanos, informou a CNN. A captura ocorreu sem feridos. Oficiais dos Estados Unidos estão solicitando que Guzmán seja extraditado ao país americano para evitar que volte a escapar como ocorreu em 2001; contudo, as autoridades mexicanas declararam que Guzmán enfrentará julgamento em seu país primeiro.

Cobertura nacional e internacional da prisão

A imprensa e o governo mexicano não foram os primeiros a informar sobre a captura, mas a agência americana Associated Press (AP) na manhã desse dia, de acordo com o Americas Program. Horas depois que o governo mexicano anunciou que Guzmán havia sido levado à Cidade do México.

A cobertura foi diferente da de outras prisões importantes no passado, nas quais a imprensa mexicana havia destacado a guerra contra o narcotráfico. Desta vez a mídia celebrou a captura e a operação em si, mas se mostrou cética quanto ao seu impacto a longo prazo. 

De acordo com o analista político Carlos Rajo, os veículos de comunicação norte-americanos deram ampla cobertura à captura, dado que Guzmán era considerado uma ameaça para a segurança nacional do país, segundo a Radio Formula. A notícia também chegou à primeira página de meios internacionais, onde se enfatizou que era o narcotraficante mais buscado do mundo, publicou Milenio.



No comments

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.






Assine aqui a nossa newsletter semanal!

Nome Completo

Email *
Selecione as listas que deseja subscrever
Boletim Semanal (Português)

Boletín Semanal (Español)

Weekly Newsletter (English)
email marketing
by activecampaign

Facebook

Comentários recentes