Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Salário de jornalistas mexicanos está entre os 5 mais baixos do país, segundo pesquisa




Por Janelle Matous*

O jornalismo segue sendo um dos trabalhos mais mal pagos no México, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Ocupação e Emprego de 2013.

O Instituto Mexicano para a Competitividade comparou a informação salarial recompilada pelo Instituto Nacional de Estatística e Geografía (INEGI) no ano passado e encontrou que o jornalismo foi a quinta ocupação com pior salário no país. Em 2013, o salário médio para um jornalista era de 7.973 pesos por mês, ou aproximadamente 610 dólares.

O estudo é feito a cada trimestre e utiliza uma mostra da população em ciclos rotantes. As quatro ocupações que ficaram abaixo do jornalismo foram formação docente para o ensino de disciplinas (7.871 pesos ao mês, cerca de 600 dólares), formação docente para educação básica (7.218 pesos, cerca de 550 dólares), trabalho e atenção social (7.008 pesos, ou 537 dólares), e belas artes (6.114 pesos, ou 468 dólares).

Os salários para jornalistas mexicanos se mantiveram baixos durante os últimos anos de violência intensificada contra o jornalismo. De acordo com uma pesquisa feita pela Comissão Nacional dos Salários Mínimos de 2012, o salário mínimo para um jornalista de jornal era de 176 pesos diários, ou 13 dólares.

Em 2010, o representante mexicano do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) Mike O’Connor falou com Salomón Cruz Gallardo, o então secretário-geral da unidade local de um dos sindicatos jornalísticos nacionais do país. Pouco tempo depois da conversa, um de seus colegas foi assassinado. Durante a entrevista com O’Connor, Gallardo falou sobre os salários e condições de trabalho para jornalistas no México.

“É difícil ser otimista se você é um jornalista (no estado) de Guerrero. Primeiro, é provável que tenha múltiplos empregos, porque os trabalhos em jornalismo não pagam o suficiente”, disse Gallardo.

Ele disse que a maioria dos trabalhos não ofereciam benefícios ou proteção policial para ameaças a jornalistas pelo que escrevem.

“Não é lógico ser um jornalista aqui”, afirmou Gallardo. “E o faço porque amo, mas essa é a única razão que tenho. Se fosse inteligente faria outra coisa”.

Este mês, funcionários do governo mexicano admitiram que o Mecanismo para a Proteção de Jornalistas oficial tinha sido um “fracasso”. Prometeram que o organismo seria reestruturado.

Baixos salários e ameaças diretas estão entre as razões pelas quais o interesse no jornalismo vem diminuindo no México, disse Ariel Muñoz, presidente da Universidade de Morelia, em uma entrevista de 2012 com o Centro Knight.

“A situação da profissão piorou porque a gente sabe que é perigoso ser um jornalista e também porque não paga bem”, disse Muñoz.

A organização Artigo 19 documentou 330 casos separados de violência contra trabalhadores de imprensa durante 2013, incluindo quatro assassinatos.

*Janelle Matous, estudante na Universidade do Texas em Austin, contribuiu com esta nota.




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook