Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

ISOJ 2016: Robôs e aplicativos de mensagens continuam a evoluir em direção ao público, dizem especialistas




Quem trabalha com criação, incluindo veículos de comunicação, está cada vez mais animado com o futuro dos robôs e de aplicativos de mensagens e como eles podem ser usados para ir de encontro ao público nos espaços digitais onde as pessoas gastam seu tempo, disseram especialistas no Simpósio Internacional de Jornalismo Online (ISOJ) no sábado, 16 de Abril.

Um dia antes da realização do painel "Mensagens como plataforma e robôs como serviço de notícias" no ISOJ, Ian Paul, da PC World, escreveu que 2016 está “se tornando o ano dos robôs", além de ser o ano da realidade virtual.

Grandes empresas estão colocando peso e recursos nos robôs e em aplicativos de mensagens. A Microsoft lançou um “Bot Framework” para ajudar a criar chats de robôs e o Facebook lançou uma versão beta de sua plataforma Messenger integrada com robôs.

Durante o painel do ISOJ, cinco pessoas envolvidas no desenvolvimento de robôs e aplicativos de mensagens compartilharam suas experiências e ideias para os usos no jornalismo.

Trei Brundrett, chefe de produtos da Vox Media e mediador do painel. (Mary Kang/Knight Center)

"Neste momento, há um hype sobre este espaço", disse Trei Brundrett, diretor de produto da Vox Mídia e moderador do painel.

Como ficou evidente durante a conversa de sábado, definir esse espaço é um desafio por si só.

Ben Brown, co-fundador e CEO da XOXCO, ordenadamente definiu o uso de robôs como sendo serviços e informações acionados por usuários e entregues através de mensagens.

A XOXCO criou um robô chamado Howdy que funciona dentro da plataforma de mensagem Slack. Howdy está programado para pedir aos funcionários um conjunto de perguntas pelo Slack. O robô então agrega as respostas em um documento, o que, segundo Brown, ajuda a economizar tempo que poderia ser gasto em outros projetos.

Outro robô que encontrou um lar no Slack foi o robô de eleições do The New York Times. Alastair Coote, ex-editor de notícias interativas mobile do The New York Times, que agora é desenvolvedor móvel no laboratório de inovação mobile do Guardian EUA, detalhou os desafios que sua equipe enfrentou quando o projeto experimental foi divulgado acidentalmente no início deste ano.

Usuários do Slack podiam adicionar o robô ao seu canal e ter resultados eleitorais entregues pela plataforma. Além disso, os usuários podiam enviar perguntas usando o comando /asknytelection.

O projeto foi encerrado, mas não sem imaginar maneiras de melhora-lo e usá-lo em contextos futuros variados.

A equipe encontrou alguns problemas, em particular com o tempo - primárias terminam de noite, mas os usuários geralmente acessam o Slack durante a jornada de trabalho - e também, com especificidade: é impossível para os robîs anteciparem todas as perguntas detalhadas e ilimitadas que os leitores podem fazer.

No entanto, enquanto os robôs podem ser automatizados e incorporar inteligência artificial, os seres humanos podem também estar por trás de robôs, como no caso do Purple, robô focado em política de Rebecca Harris, que se baseia em “conteúdo com pedaços de conversas" distribuídos via texto.

Harris explicou que, em vez de escrever uma matéria tradicional, ela pensa sobre um tema em termos de como ela iria escrever isso a um amigo ou explicar em uma conversa. Ela divide o conteúdo em pedaços de conversa em forma de itens e usa palavras-chave em letras maiúsculas que os usuários podem responder para ver a próxima peça de informação.

“Grande parte de como consumimos conteúdo até agora é passivamente, então isso é realmente poderoso", disse Harris.

Alastair Coote, ex-editor de mobile e notícias interativas do The New York Times, que é agora desenvolvedor mobileno laboratório de inovação mobile do Guardian U.S. (Mary Kang/Knight Center)

A Purple não está só envolvendo os usuários pela conversa. Como disse Harris, "a chave para o sucesso é ir onde os usuários estão, e não fazê-los chegar até você."

Lançado em novembro de 2015, o projeto tem alguns milhares de usuários, a média trocando mensagens de texto 13 vezes por semana.

Para os outros membros do painel, a criação de conversas com leitores levou ao desenvolvimento de um aplicativo de mensagem independente. Em fevereiro, a Quartz lançou um aplicativo para iPhone que diverge do modelo de simplesmente listar títulos de matérias como notificações.

A notícia em si é enviada por mensagem e aparece na tela bloqueada do usuário. Se estiver interessado, o usuário clica e é então apresentado a botões de palavras-chave que irá enviar o próximo bloco de informação.

Como os outros membros do painel, a equipe da Quartz tem combinado automação e seres humanos para aprofundar a conversa.

Zach Seward, vice-presidente de produto e editor executivo da Quartz, disse que a média do usuário ativo diário do aplicativo acessa duas vezes por dia e usa o programa por cerca de cinco minutos.

Alex Swan, desenvolvedor no BreakingNews.com/NBCUniversal, explicou como o aplicativo de sua empresa para o iPhone usa localização para emitir alertas de proximidade, incluindo notificações sobre emergências, acidentes, etc., para os usuários próximos. O serviço de notícias também integrou com o Slack, permitindo até que os usuários sigam canais sobre temas específicos.

Na medida em que são desenvolvidos, robôs e aplicativos de mensagens provavelmente irão gerar mais debate sobre as melhores práticas, ética e responsabilidade, assim como outros avanços tecnológicos que vieram antes.

Rebecca Harris, fundadora e CEO da Purple (Mary Kang/Knight Center)

Nesse meio tempo, os palestrantes continuarão refinando suas mensagens e conteúdo. E alguns, como Brown, estão criando kits para ajudar os outros criar os seus próprios robôs.

Sobre a questão de autoria dessas plataformas robôs, Brown observou sua rápida popularidade e adoção: “Há seis meses, essa era uma ideia louca e agora é como se todo mundo estivesse fazendo isso."

O 17o ISOJ ocorreu entre os dias 15 e 16 abril, no Blanton Museum of Art, no campus da Universidade do Texas, em Austin. Vídeos de ambos os dias podem ser encontrados aqui em inglês e aqui em espanhol.

O 18o ISOJ está agendado para 21 e 22 abril de 2017, em Austin, Texas.



Temas:






Assine aqui a nossa newsletter semanal!

Nome Completo

Email *
Selecione as listas que deseja subscrever
Boletim Semanal (Português)

Boletín Semanal (Español)

Weekly Newsletter (English)
email marketing
by activecampaign

Facebook

Comentários recentes