Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Conhecido jornalista hondurenho é assassinado em ataque coordenado em San Pedro Sula




Esta história foi atualizada para incluir informação sobre a prisão de 18 pessoas suspeitas de participar do assassinato de Igor Padilla.

Igor Abisaí Padilla Chávez, conhecido jornalista hondurenho, foi assassinado em San Pedro Sula neste dia 17 de janeiro.

Igor Padilla. Foto do Facebook.

O jornal La Prensa reportou que o jornalista, de 38 anos, recebeu uma ligação para sair do local onde estava gravando um comercial. Quando saiu, quatro pessoas começaram a disparar contra ele. O jornal acrescentou que balas de um fuzil AR-15 foram encontradas na cena e que as informações iniciais apontavam que os assassinos usavam coletes a prova de balas e estavam encapuzados. Segundo a AFP, eles estavam vestidos como policiais.

Testemunhas disseram que escutaram pelo menos 20 disparos; um doutor citado pelo La Prensa afirmou que Padilla tinha várias marcas de bala.

Padilla era repórter no Canal Hable Como Habla (HCH), em San Pedro Sula, e cobria patrulhas policiais noturnas, segundo a AFP. Também comandava um programa de comédia no HC chamado “Los Verduleros”.

“Sem dúvida, por seu caráter afável e seu jeito com as pessoas, ele ganhou o carinho de milhares de hondurenhos que o seguiam pela telinha”, reportou o La Tribuna.

O jornalista também produziu um filme e estava gravando outro, sobre violência contra jornalistas, segundo informou o La Prensa.

A AFP acrescentou que a causa do ataque contra Padilla era desconhecida. No entando, o La Prensa informou que conhecidos do jornalista disseram que ele havia recebido uma ameaça de morte por escrito.

A polícia nacional informou que 18 pessoas, supostamente membros da Mara 18, foram presas em relação com o assassinato de Padilla em 18 de janeiro, segundo La Tribuna.

O jornal também reportou que duas pessoas confessaram a participação no ataque e que uma das mulheres presas foi a que fez a chamada a Padilla pedindo que ele saísse da loja, justo antes de ser assassinado.

Em comunicado, a Secretaria de Segurança de Honduras disse que “os indícios preliminares indicam que os autores que perpetrarom este ato que terminou con a vida do jornalista Igor Padilla estão vinculados como membros ativos de uma organização criminosa de maras e gangues”.

A Secretaria também disse que vai cumprir as ordens dadas pelo presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, de capturar aos responsáveis do crime.

Igor Padilla. Foto do Facebook.

O diretor da Agência Técnica de Investigação Criminal (ATIC), Ricardo Castro, disse que “não há duvidas [de] que o objetivo era Igor Padilla” e de que “definitivamente foi um ato muito planejado”, de acordo com o HCH.

O HCH exigiu a captura dos suspeitos e se manifestou dizendo: “seguiremos informando, não pararemos, não teremos medo e não deixaremos de dizer a verdade, o HCH Televisión Digital continuará sendo o canal referência de Honduras e seguirá trascendendo a nível internacional”.

Roberto Herrera Cáceres, da Comissão Nacional dos Direitos Humanos de Honduras, condenou o assassinato de Padilla, exigiu uma investigação profunda e efetiva e disse que o ataque era um reflexo da situação geral de insegurança em Honduras.

A Comissão Nacional dos Direitos Humanos de Honduras (Conadeh) reportou que, com Padilla, são 69 as pessoas relacionadas à comunicação que foram mortas desde 2001, com uma taxa de impunidade de 95%.








Assine aqui a nossa newsletter semanal!

Nome Completo

Email *
Selecione as listas que deseja subscrever
Boletim Semanal (Português)

Boletín Semanal (Español)

Weekly Newsletter (English)
email marketing
by activecampaign

Facebook

Comentários recentes