Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Universidade de Columbia abre nomeações a prêmio de 2018 para decisões e serviços judiciais em apoio à liberdade de expressão




A iniciativa Global Freedom of Expression, da Universidade de Columbia, em Nova York, abriu indicações para seus prêmios internacionais de 2018, que reconhecem decisões judiciais e serviços jurídicos que fortalecem a liberdade de expressão através da promoção de padrões internacionais.

Indicações para o Prêmio Global Freedom of Expression 2018

A iniciativa "procura avançar a compreensão das normas e instituições nacionais e internacionais que melhor protegem o livre fluxo de informação e expressão em uma comunidade global interconectada com grandes desafios comuns a serem abordados". Ela promove os prêmios Global Freedom of Expression, que foram lançados em 2014, a cada dois anos.

"Acreditamos que, no momento em que a liberdade de expressão é ameaçada a nível global, há uma necessidade específica de celebrar as vitórias em defesa desse direito fundamental", afirmou a iniciativa em um comunicado de imprensa enviado por e-mail.

Indivíduos e organizações, em particular juristas, acadêmicos e organizações não governamentais dedicados à liberdade de expressão, são convidados a indicar decisões judiciais ou serviços legais de qualquer lugar do mundo que "tenham tido um impacto reconhecível na liberdade de expressão".

Haverá prêmios separados para "Decisão Judicial" e "Serviço Jurídico". Nesta última, o prêmio considerará sumários jurídicos, petições amicus curiae, publicações acadêmicas ou outras.

As nomeações serão encerradas em 31 de janeiro de 2018 e os vencedores serão anunciados em 13 de março. Os formulários estão disponíveis em inglês e espanhol.

Os membros do Comitê de Prêmios são: Lee C. Bollinger, presidente da Universidade de Columbia; Catalina Botero, ex-relatora especial para a liberdade de expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos; Nicolas Bratza, ex-presidente da Corte Europeia de Direitos Humanos; Lydia Cacho, jornalista, defensora dos direitos humanos e escritora; Agnes Callamard, diretora da iniciativa Columbia Global Freedom of Expression; Sarah Cleveland, Professora Louis Henkin de Direitos Humanos e Constitucionais e membro do Comitê de Direitos Humanos da ONU; e Irene Khan, diretora-geral da Organização Internacional do Direito do Desenvolvimento.

Os vencedores do prêmio 2016 por Excelência em Serviços Jurídicos foram o professor Yaman Akdeniz, o professor-assistente Kerem Altiparmak e o advogado Serkan Cengiz por lutar contra uma ordem judicial bloqueando o acesso ao YouTube na Turquia. No mesmo ano, o prêmio para uma Decisão Judicial Significativa foi outorgado à Suprema Corte da Noruega, Rolfsen e Associação dos Editores Noruegueses contra o Ministério Público da Noruega. O tribunal apoiou a ampla proteção contra jornalistas sendo forçados a expor suas fontes.








Assine aqui a nossa newsletter semanal!

Nome Completo

Email *
Selecione as listas que deseja subscrever
Boletim Semanal (Português)

Boletín Semanal (Español)

Weekly Newsletter (English)
email marketing
by activecampaign

Facebook

Comentários recentes