Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Clamor por justiça se intensifica no aniversário de um ano do assassinato do jornalista mexicano Javier Valdez




O clamor por justiça para os jornalistas do México não vai cessar, apesar dos anos de violência e impunidade que assolam a profissão no país latino-americano. Para marcar o aniversário de um ano do assassinato do repórter Javier Valdez, em Sinaloa, colegas e amigos realizaram um Dia Nacional de Protesto nas mídias sociais e pessoalmente, pedindo que os assassinos sejam levados à Justiça e o fim da violência contra os jornalistas que expõem coisas que muitos prefeririam que fossem mantidas em segredo.

El periodista Javier Valdez fue asesinado en Sinaloa, México, el 15 de mayo de 2017.

Ainda assim, em 15 de maio de 2018, o dia que marcou um ano desde que Valdez foi morto a tiros em Sinaloa, os jornalistas mexicanos foram confrontados mais uma vez com a dura realidade enfrentada pelos repórteres no país. O jornalista Juan Carlos Huerta foi assassinado em Villahermosa, Tabasco, enquanto saía de carro de sua casa. O mecanismo nacional de proteção a jornalistas foi ativado em resposta ao assassinato, de acordo com o Ministério Público de Tabasco.

Foi nesse contexto que os eventos planejados para o dia 15 de maio ganharam ainda mais urgência.

Ríodoce, o jornal semanal do qual Valdez foi co-fundador, organizou uma série de atividades para o Dia Nacional de Protesto que começou em 12 de maio e terminou em 16 de maio. Como informou La Jornada, as atividades incluíram apresentações de livros, documentários, conferências, e treinamentos para jornalistas e defensores de direitos humanos.

Em lembrança de seu amigo e colega, o escritor Leónidas Alfaro Bedolla escreveu em Ríodoce: “A ausência de nosso querido amigo e companheiro deste jornal semanal e de sua família é notavelmente dolorosa, e também é assim para milhares, talvez milhões de pessoas que mantiveram a esperança em seu trabalho jornalístico ”.

“Seu trabalho foi inspirado por sua alma e pela força de todo o seu ser; procurando a verdade com um profundo sentido humanista ”, escreveu Bedolla. "A verdade para exigir justiça, a verdade para enfrentar a vida com um pretexto valioso que deu sentido à existência, a verdade para tentar decifrar o porquê da barbárie, a verdade para encontrar a razão de tanta desigualdade, a verdade para saber por que há tanta corrupção, a verdade para entender por que há tantos mortos, tanta solidão e tanta insensibilidade. Tudo isso se perdeu no poço escuro da injustiça.”

A Polícia Federal prendeu um suspeito em 23 de abril, que o promotor especial diz que dirigiu o veículo usado no assassinato de Valdez, de acordo com Ríodoce. No entanto, familiares, colegas e amigos do jornalista estão pedindo que os autores intelectuais por trás do crime sejam levados à Justiça.

A organização de liberdade de imprensa Artigo 19 México escreveu que seu assassinato é "emblemático do fracasso do Estado mexicano em garantir a segurança dos jornalistas para realizar seu trabalho".

O grupo destacou que dois dias depois da morte de Valdez, o presidente Enrique Peña Nieto e a Conferência Nacional de Governadores anunciaram um plano para proteger os jornalistas, e outros 10 jornalistas foram mortos desde então.

"Efetivamente, confirma-se a suspeita bem fundamentada de que tais ações não reverteriam o padrão de agressão contra a imprensa no México", escreveu a Artigo 19, acrescentando que isso também ocorre apesar da criação acelerada de unidades de proteção para jornalistas.

Em 15 de maio, Ríodoce organizou uma marcha por Sinaloa até a sede do Ministério Público, pedindo que os autores materiais e intelectuais do crime sejam punidos.

Mais cobertura do aniversário de um ano pode ser encontrada clicando em um banner que está no topo da página inicial de Ríodoce desde o assassinato de Valdez. Em 15 de maio, a contagem de “Dias de Impunidade” atingiu 365.

O jornal também realizou um debate com a jornalista mexicana Carmen Aristegui, que enfrenta um processo de “dano moral” de Joaquín Vargas, presidente do Grupo MVS, onde ela trabalhava. Em um exemplo de que nem todas as ameaças contra jornalistas no México estão sob a forma de violência física, a revista Proceso informou esta semana que a Suprema Corte do México está tentando pressionar um tribunal inferior para decidir a favor de Vargas.

A associação civil Ojos de Perro vs. Impunidad realizou uma exibição ao vivo de seu novo documentário “No se mata la verdad” (“Não se mata a verdade”) online e no México. O filme analisa os anos de 2015 a 2017, nos quais o produtor Témoris Grecko diz que 33 jornalistas foram mortos. Além das exibições, a organização também transmitiu conversas com Griselda Triana, viúva de Valdez; Patricia Espinosa, irmã do jornalista morto Rubén Espinosa; Jorge Sánchez, filho do jornalista assassinado Moisés Sánchez; Andrés Villarreal, de Ríodoce; Jan Jarab, representante de direitos humanos da ONU no México; e outros membros da equipe do documentário. Uma conversa final será transmitida ao vivo nas páginas nas redes sociais do documentário em 17 de maio.

O Prêmio Latino-Americano de Jornalismo Investigativo, organizado pelo Instituto Imprensa e Sociedade (IPYS, por sua sigla em espanhol) e Transparência International, foi renomeado em homenagem a Valdez, informou IPYS. O prêmio agora será patrocinado pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Além dessas atividades e de muitas outras planejadas no país, jornalistas e apoiadores da causa também pintaram muros de cidades, ergueram cartazes nas pirâmides, acenderam velas e até mesmo pregaram sua mensagem na cerca que separa o México e os EUA, para chamar a atenção para a morte de Valdez e a violência que assombra a imprensa do país.

Nas redes sociais, os usuários compartilharam histórias sobre o repórter assassinado, pediram justiça para este caso e de outros jornalistas assassinados, exigiram proteções para a imprensa e destacaram o jornalismo investigativo que persevera no país.

Veja abaixo uma coletânea de artigos e publicações em redes sociais em homenagem a Valdez.




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook