Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Cofundadora do site venezuelano Efecto Cocuyo recebe prêmio internacional Liberdade de Imprensa do CPJ




Luz Mely Reyes, cofundadora e diretora geral do site de notícias independente venezuelano Efecto Cocuyo, é uma das quatro jornalistas a serem homenageadas com o Prêmio Internacional Liberdade de Imprensa de 2018 do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

Luz Mely Reyes (Reprodução)

“Eu me sinto muito honrada. Agradeço ao CPJ por olhar para a Venezuela. Este reconhecimento é para todos os jornalistas venezuelanos que estão fazendo o nosso trabalho nas circunstâncias mais adversas ”, disse Reyes ao Centro Knight.

Reyes é repórter investigativa há mais de 25 anos. Trabalhou nos meios de comunicação venezuelanos Cadena Capriles e Bloque De Armas por 12 anos, atuando como editora política, chefe da unidade de investigação do Últimas Noticias e editora-chefe do Diario 2001.

Ela e seus colegas Laura Weffer e Josefina Ruggiero criaram o site de notícias Efecto Cocuyo em 2015 para fornecer notícias independentes que não respondiam aos poderes que estavam trabalhando para censurar a mídia no país.

Para lançar o site, eles foram às ruas para levantar fundos e ouvir a comunidade sobre os temas que a população queria que fossem cobertos.

“Nós nos inspiramos nesse efeito do cocuyo [vagalume] de ser uma pequena faísca ou luz que juntos podem iluminar uma nação inteira”, disse Reyes no Simpósio Internacional de Jornalismo Online (ISOJ) em 2017, ao falar sobre jornalismo de responsabilização do poder em sociedades polarizadas.

Além da cobertura diária de política, economia, criminalidade e esportes, o site produz trabalhos investigativos sobre temas como escassez de alimentos e remédios no país e mortes violentas por armas de fogo.

“A Venezuela tornou-se um ambiente cada vez mais hostil para a imprensa, com jornalistas enfrentando censura, recursos limitados e ameaças de ataques físicos e digitais. Ao longo de sua carreira, Luz Mely Reyes foi um exemplo inspirador de como os jornalistas independentes da Venezuela continuam perseverando e realizando um excelente trabalho, mesmo em meio a um ambiente tão desafiador”, disse Natalia Southwick, pesquisadora do CPJ nas Américas, ao Centro Knight. “O CPJ está entusiasmado em dar este prêmio a uma representante tão notável de reportagens corajosas e inovadoras na América Latina.”

Reyes é a única ganhadora do prêmio de liberdade de imprensa do CPJ da América Latina este ano. As outras homenageadas são: Amal Khalifa Idris Habbani, do Sudão; Nguyen Ngoc Nhu Quynh, do Vietnã; e Anastasiya Stanko, da Ucrânia. Maria Ressa, fundadora, CEO e editora executiva do Rappler, das Filipinas, receberá o prêmio Gwen Ifill de liberdade de imprensa.

As vencedoras serão homenageadas no prêmio e jantar anual do CPJ em Nova York, em 20 de novembro de 2018.

“Eu reconheço especialmente as pessoas que nos apoiaram durante esses três anos. Sem o apoio delas, fazer o nosso trabalho seria muito mais difícil ”, disse Reyes ao Centro Knight. “E abraços às minhas parceiras Laura Weffer e Josefina Ruggiero, assim como à equipe do Efecto Cocuyo. Cada membro dessa equipe me dá forças para continuar.”




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook