Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Juiz federal condena homem envolvido no assassinato da jornalista mexicana Miroslava Breach



Após uma série de adiamentos no julgamento, um tribunal federal considerou um dos co-autores materiais culpado pelo assassinato da jornalista Miroslava Breach, morta em 23 de março de 2017 em Chihuahua, México.

Miroslava Breach Velducea. (Facebook)

De acordo com a Procuradoria Geral do México (FGR), o juiz determinou que Juan Carlos Moreno Ochoa, conhecido como "El Larry", "seja totalmente responsável pelo crime de homicídio qualificado". Até agora, ele é a única pessoa a ser processada pelo assassinato de Breach.

Segundo o jornal La Jornada, Moreno Ochoa foi preso em dezembro de 2017 e o Ministério Público de Chihuahua iniciou o processo criminal em 27 de dezembro daquele ano. O gabinete do Promotor Especial de Atenção aos Crimes contra a Liberdade de Expressão (Feadle) ordenou a abertura do caso em 5 de dezembro de 2018. Desde então, a primeira audiência do julgamento oral foi adiada em várias ocasiões devido a liminares apresentadas pela defesa. As audiências foram retomadas em outubro de 2019, mas devido a um adiamento adicional, o julgamento não continuou até 17 de fevereiro de 2020.

O julgamento foi retomado em 2019 graças a uma liminar obtida pela organização Propuesta Cívica alegando irregularidades no processo pelo juiz responsável, informou Aristegui Noticias.

Breach, 54, foi baleada oito vezes na manhã de 23 de março de 2017, enquanto esperava no carro para levar seu filho à escola em Chihuahua, capital do estado de Chihuahua, no norte do país. Ela era correspondente em sua cidade do jornal La Jornada e escreveu para o jornal Norte de Ciudad Juárez.

Segundo Pie de Página, o juiz disse que não havia dúvida razoável de que o réu, depois de receber a ordem de matar Breach, pediu a ajuda de mais duas pessoas e supervisionou o crime.

O juiz, segundo o site, também determinou a participação de Jaciel Vega Villa, agora fugitivo da justiça, e de Ramón Andrés Zavala Corral, suspeito de ter dado os oito tiros que feriram fatalmente a jornalista.

O Animal Político publicou anteriormente que, segundo as autoridades, Vega Villa supostamente dirigia o carro que levou o assassino à casa do jornalista.

Zavala foi encontrado morto em Sonora em dezembro de 2017, alguns dias antes da prisão de Moreno Ochoa, publicou o El País da Espanha.

As reportagens investigativas de Breach cobriam as relações entre a classe política de Chihuahua e o grupo local de crime organizado Los Salazares, publicou El País. José Crispín Salazar, um dos líderes desse grupo, coordenou o assassinato de Breach com Moreno Ochoa, informou o jornal.

O advogado da Propuesta Cívica, Víctor Martínez, disse que a condenação é um passo, publicou o El País. “Existem mandados de prisão pendentes, pelo menos os de Jaciel. O juiz o menciona no julgamento, o Feadle verificou que ele participou do assassinato. E o autor intelectual também está ausente. O juiz disse que uma testemunha importante, Apolo, ouviu como José Crispín Salazar ordenou que El Larry matasse Miroslava", disse ele, segundo o El País.

Segundo os Repórteres Sem Fronteiras (RSF), Feadle e Propuesta Cívica, uma organização que representa os parentes de violação, pediram por 70 anos para Moreno Ochoa e reparação completa para a família da jornalista.

Em 20 de abril, o acusado será condenado, a FGR disse.

Dado o lento processo das autoridades na busca de justiça para Breach, um grupo de jornalistas mexicanos, o Coletivo 23 de Marzo, decidiu continuar investigando o crime por conta própria. O Animal Político, a revista Proceso, a Pie de Página, Aristegui Noticias fazem parte desse coletivo, entre outros meios de comunicação mexicanos.

Em 2019, esse grupo iniciou o Projeto Miroslava, apoiado pelo Centro Latino-Americano de Investigação Jornalística (CLIP), Forbidden Stories, com sede na França, e Bellingcat, na Inglaterra, e publicou sua primeira reportagem conjunta com o resultados de suas investigações em 4 de setembro daquele ano.

Veículos como El País, El Diario da Espanha, Washington Post dos Estados Unidos e o site peruano IDL-Reporteros começaram a republicar seus relatórios e descobertas sobre o assassinato.




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook