Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Jornalista que denunciou ameaças de morte é assassinada em plena luz do dia em Veracruz, no México




Esta nota está em desenvolvimento e será atualizada com novas informações assim que estiverem disponíveis. 

A jornalista María Elena Ferral foi baleada oito vezes enquanto estava no centro de Papantla, no estado de Veracruz, por volta das 14h de 30 de março, de acordo com o Diario de Xalapa, jornal para o qual ela trabalhava como correspondente. Ela morreu seis horas depois.

Maria Elena Ferral (Facebook)

A jornalista, que também era diretora do site de notícias Quinto Poder, relatou à Comissão Estadual de Atenção e Proteção a Jornalistas que havia recebido ameaças, segundo o Diário de Xalapa.

O La Jornada publicou que, em 2016, Ferral registrou uma queixa criminal e disse que havia recebido ameaças de morte de um político local por causa de seu trabalho.

Seus familiares disseram que ela foi ameaçada "por todos os lados", informou o Diário de Xalapa.

O procurador-geral de Veracruz divulgou uma declaração na qual prometeu encontrar os responsáveis e expressou solidariedade aos jornalistas, dizendo que Ferral “procurava dar voz a grupos vulneráveis e fazer jornalismo dedicado a causas sociais, apontar a injustiça e destacar igualmente as coisas boas de Veracruz.

O Escritório Especial em Crimes Eleitorais e Crimes Contra a Liberdade de Expressão do Ministério Público está investigando o caso, segundo o Diário de Xalapa.

Com Ferral, já são 28 jornalistas mortos no estado de Veracruz desde 2000, segundo informação concedida ao Centro Knight pela Artigo19 México. É o estado mais mortal para jornalistas no país, de acordo com a organização. 




Assine nossa newsletter semanal “Jornalismo nas Américas”

Boletim Semanal (Português)
Boletín Semanal (Español)
Weekly Newsletter (English)
 
Marketing by ActiveCampaign

Facebook