Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Número de jornalistas americanos que pertencem a grupos minoritários diminui, afetando a cobertura de notícias




Apesar das minorias continuarem crescendo nos Estados Unidos, o número de jornalistas pertencentes a minorias e que trabalham nas redações diminuiu em 2011, segundo os novos dados da Sociedade Estadounidense de Editores de Notícias (ASNE, na sigla em inglês) e do Centro para o Avanço da Investigação Social (CASR, na sigla em inglês) localizado na Escola de Jornalismo da Universidade de Missouri.

As minorias representam apenas 12,3% dos membros das salas de redação nos Estados Unidos, resultado inferior ao 13,7% de 2006. Isso apesar do fato de que as minorias representam cerca de 36% da população geral dos EUA, de acordo com números do Censo 2010

O censo sobre as salas de redação, divulgado na quarta-feira, 4 de abril, também mostra que, em geral, o número de empregados nestas salas caiu 2,4% em relação ao ano anterior, passou de 41.600 a 40.600. No entanto, as minorias sofreram ainda mais, pois o número de empregados pertencentes a elas diminuiu 5,7%, passando de 5.300 a 5.000. Como destaca o instituto Poynter, isto significa que um a cada três postos de trabalho nas salas de redação pertencentes a minorias foi eliminado.

Entretanto, se é possível destacar algo positivo é que a diminuição de postos de trabalho nas salas de redação --e de trabalhadores pertencentes a minorias--, que começou entre 2006 e 2007, parece estar se estabilizando, de acordo com o comunicado de imprensa do Reynolds Journalism Institute da Escola de Jornalismo da Universidad de Missouri.

"Claramente temos muito trabalho a fazer", afirmou Ronnie Agnew, co-presidente do Comitê de Diversidade da ASNE, em comunicado. "Ainda que os números sugiram uma estabilização, a tendência mostra que continua o êxodo das minorias desta importante indústria. Esta situação esta longe de ser somente uma questão estatística; esse é um assunto preocupante. O declínio terminará quando as pessoas em posição de liderança acolherem a diversidade como parte essencial de seus negócios".

Como foi destacado por Agnew, ter representantes de minorias nas salas de redação é importante para o conteúdo e para a forma como os veículos cobrem as notícias - um tema que tem estado em primeiro plano nas últimas semanas com o assassinato do jovem afro-americano Trayvon Martin, sobre o qual a cadeia pública de rádio estadounidense NPR observou que, apesar da cobertura ter sido completa, nem sempre foi justa ou correta.

O blog The Cutline argumentou que o caso de Martin mostrou a pior faceta dos meios, de igual maneira indicou que a NBC começou uma investigação interna sobre a cobertura desta história, de acordo com o site web Media Bistro.



No comments

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.


Assine o boletim semanal

Receba nosso boletim semanal sobre jornalismo nas Américas.

Escolha seu idioma:

English
Español
Português

Por favor, digite seu e-mail:

Facebook

Comentários recentes