Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Veículos de imprensa americanos encontram formas inovadoras de usar as mídias sociais



A rede de TV americana C-SPAN, especializada em política, encontrou uma maneira inovadora de divulgar o que acontece no Congresso americano – com um tweet.

O canal C-SPAN2 está usando os intervalos nas discussões no Senado para divulgar tweets de parlamentares, “exibindo tudo o que os congressistas dizem em seus perfis oficiais” no Twitter, segundo o Poynter.

Como a C-SPAN, outros veículos de imprensa dos Estados Unidos estão encontrando formas criativas de tirar proveito das mídias sociais. Seja usando as tecnologias digitais para conseguir informações ou cobrir a violência, além de utilizar as redes sociais para divulgar notícias ou burlar a censura, os meios de comunicação estão explorando as possibilidades.

De fato, as mídias sociais se tornaram tão importantes no jornalismo que os veículos de imprensa já contratam editores e uma equipe inteira apenas para cuidar delas, segundo a American Journalism Review. As empresas também estão lançando suas próprias regras para o uso de Twitter, Facebook e afins.

O jornal britânico The Guardian anunciou o lançamento de um mecanismo de busca baseado no Twitter, disponível por meio da tag @GuardianTagBot.

Ao publicar uma perguntando usando @GuardianTagBot, o usuário recebe um link com conteúdo do Guardian sobre o tema pesquisado. Ainda em versão beta, o serviço “adormecerá” depois de responder cerca de 3 mil questões por dia.

A Fox News, por sua vez, anunciou que usará o Google+ Hangouts (conversas grupais em vídeo) na cobertura das eleições, informou o Poynter. A KOMU-TV já usa o Google+ Hangouts para transmissões interativas, de acordo com a TV Spy. No início de novembro, o New York Times também começou a usar o Hangouts.

O N0tice, outro projeto do Guardian ainda em versão beta, é uma comunidade online, ainda restrita a convidados, “onde você pode compartilhar notícias, publicar informações sobre futuros eventos ou informar que você tem algo para vender ou compartilhar”, de acordo com o próprio Guardian.

Além das redes sociais, os veículos está lançando mão também dos aplicativos. O USA TODAY, por exemplo, recentemente se tornou provedor de notícias do aplicativo Flipboard. O jornal oferece informações 24h por dia, sete dias por semana.

O Cincinnati Enquirer também criou sua comunidade online no Porkappolis. O aplicativo permite que os leitores façam “‘check in’ para ler avaliações, encontrar bons negócios, localizar amigos, conseguir "informações privilegiadas", ganhar prêmios, compartilhar fotos e atualizar Twitter, Facebook e Foursquare.”

Em 2007, a PBS lançou o PBS Engage, descrito como um “laboratório para experiências com novos tipos de mídia”. Por meio do Engage, a rede PBS espera “tornar o público mais envolvido com a transmissão pública”. O Engage permite que os usuários gerem e divulguem conteúdo por meio das mídias sociais – vídeos, fotos, blogs, comentários sobre os programas e até encoraja discussões com os produtores e repórteres. Visite a galeria do Engage com os conteúdos produzidos por usuários aqui.

Tal uso inovador das mídias sociais colocou a PBS num patamar mais alto de “participação pública, incluindo uma cooperação com o YouTube para incentivar os usuários a ‘Filmar seu Voto’”, que elevou o tráfego de maneira recorde, segundo a American Journalism Review. E, de acordo com o Google Analytics, em 2008, apenas um ano após o lançamento do Engage, a PBS recebeu mais de 20 milhões de visitantes únicos em um único mês, estabelecendo um novo recorde para o período.

De forma semelhante, o The St. Louis Post-Dispatch criou sua própria rede social, a MySTLtoday. O objetivo é, como no Engage, oferecer uma comunidade virtual por meio da qual os usuários possam compartilhar “histórias, fotos, vídeos e opiniões”. A cada semana, o Dispatch publica conteúdo selecionado do MySTLtoday.

Esse uso das mídias sociais vem após uma desconfiança inicial, justificada em certos casos, considerando que as mídias sociais também têm sido usadas para divulgar informações falsas.



1 comentar

 
Almanakut Brasil wrote 2 anos 22 semanas ago

Desde 2007

Desde 2007, isso vem sendo feito nas redes sociais brasileiras, começando com postagens em texto e HTML, na rede social Orkut.

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.


Assine o boletim semanal

Receba nosso boletim semanal sobre jornalismo nas Américas.

Escolha seu idioma:

English
Español
Português

Por favor, digite seu e-mail:

Facebook

Comentários recentes