Knight Center
Knight Center

Um jornalista é sequestrado e outro, agredido no México




A onda de violência contra jornalistas continua no México. A imprensa nacional noticiou, na quinta-feira 9 de junho de 2011, o sequestro de Marco Antonio López Ortiz, chefe de informação do diário Novedades Acapulco. Já a do estado de Veracruz, no Leste do país, informou sobre a agressão sofrida pelo diretor do portal Gobernantes.com, Carlos de Jesús Rodríguez na prisão.

Os ataques aconteceram poucos dias depois de o corpo de um jornalista ser encontrado em uma fossa clandestina no estado de Veracruz. Além disso, coincidiram com a publicação de um relatório do PEN Canadá e do Programa Internacional de Direitos Humanos (IHRP, na sigla em inglês) da Universidade de Toronto, que acusa o governo mexicano de ser "cúmplice" dos crimes contra os profissionais de imprensa. Desde 2000, cerca de 70 foram assassinados no país.

López Ortiz foi sequestrado por homens armados na terça-feira 7 de junho, ao sair de um bar em Acapulco, segundo o El Economista. Esse conhecido destino turístico se transformou, nos últimos anos, em campo de batalha entre facções criminosas rivais, gerando uma onda de violência.

O próprio jornal Novedades foi o primeiro a divulgar o sequestro, por meio de sua conta no Twitter.

De acordo com o diário, como o jornalista não apareceu para trabalhar, seus colegas foram procurá-lo. Em frente ao bar onde López foi raptado, eles encontraram o carro do jornalista. No dia 9 de junho, o Novedades prestou queixa do desaparecimento do profissional, informou o Milenio.

Já a imprensa de Veracruz noticiou uma agressão sofrida por Rodríguez na prisão. Ele havia sido preso no dia 10 de maio, por violência contra uma mulher, informou o La Policiaca. Horas mais tarde, foi libertado após pagar fiança.

No entanto, alguns dias depois, alguns veículos informaram que Rodríguez estava internado em um hospital, em estado grave, por causa de agressões sofridas na cadeia, segundo o Crónica Digital. De acordo com o Plumas Libres, ele estava "lutando por sua vida".

O Gobernantes.com afirmou que Rodríguez havia sido ameaçado, junto com outros jornalistas do estado, por funcionários do governo anterior.

O México é o país mais perigoso das Américas para o exercício do jornalismo. A violência ligada ao narcotráfico já fez aproximadamente 35 mil vítimas desde 2006. No entanto, também há denúncias de ataques contra jornalistas cometidos por forças do Estado, segundo relatório do CEPET divulgado em março.

Para mais detalhes sobre os ataques contra jornalistas no México, veja este mapa do Centro Knight.



Responder

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.


Assine o boletim semanal

Receba nosso boletim semanal sobre jornalismo nas Américas.

Escolha seu idioma:

English
Español
Português

Por favor, digite seu e-mail: