texas-moody

Blog

knight-center-journalism

'Como reportar com segurança: Estratégias para mulheres jornalistas e seus aliados' agora disponível como um curso online autodirigido

Jornalistas mulheres e seus aliados agora têm outra caixa de ferramentas para gerenciar e mitigar os riscos encontrados no processo de reportagem.

“Como reportar com segurança: Estratégias para mulheres jornalistas e seus aliados” está agora disponível como um curso online autodirigido que pode ser feito através do JournalismCourses.org, a plataforma de aprendizado online do Knight Center.

Banner for self-directed How to report safely course

Originalmente oferecido como um Massive Open Online Course (MOOC) de 3 a 30 de maio, o curso atraiu 1.235 alunos de 121 países.

O MOOC e a versão autodirigida são organizados pelo Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, em parceria com a International Women’s Media Foundation (IWMF) e a UNESCO, com apoio financeiro da Swedish Postcode Foundation.

Alison Baskerville, instrutora líder de segurança inclusiva para IWMF, ensina o curso usando vídeo-aulas, leituras, exercícios e muito mais. As entrevistas de Baskerville com especialistas em saúde e segurança, bem como outros jornalistas, também fazem parte dos materiais do curso.

Os alunos podem fazer o curso, que é dividido em quatro módulos, em seu próprio ritmo:

  • O módulo um é uma introdução ao planejamento de segurança para jornalistas;
  • O módulo dois cobre consciência situacional e segurança pessoal;
  • O módulo três é sobre assédio e violência baseada em gênero; e
  • O módulo quatro examina o autocuidado e o bem-estar mental.

“'Como reportar com segurança' é um recurso importante para mulheres jornalistas e aliadas. Quase todos os cursos de segurança de jornalismo cobrem as principais ameaças, como sobreviver a um ataque terrorista, tratar um ferimento a bala ou o que fazer em um desastre natural. Esses são tópicos vitais. No entanto, o que costuma ser esquecido é uma discussão mais sutil sobre os riscos que vêm com nossa identidade de gênero e o que podemos fazer para mitigá-los”, disse Nadine Hoffman, vice-diretora da IWMF.

“Como mulheres e jornalistas não binárias, enfrentamos ameaças em camadas e é fundamental abordá-las com franqueza, como Alison Baskerville fez com empatia e profunda experiência neste MOOC. Embora tenhamos muito mais trabalho a fazer para criar uma cultura de segurança jornalística inclusiva, este é um passo crítico na direção certa”, disse Hoffman.

“Eu realmente acho que [o curso] me equipou com as ferramentas para me preparar melhor sempre que saio para cobrir uma história”, disse uma participante do curso nas avaliações finais. “Atualmente trabalho de casa, então às vezes não penso nos perigos que muitos jornalistas vivem. Essas informações vão ajudar sempre que for para a rua [reportar] e com certeza vou repassar essas informações para as minhas colegas".

“Minha parte favorita foi ler artigos ​​que listavam respostas razoáveis ​​ou maneiras de mitigar o problema”, disse outra.

Se você fez o curso como um MOOC e só precisa de mais tempo para as leituras, vídeos ou outros materiais, ou se você é completamente novo no assunto e precisa aprender sobre como gerenciar e mitigar seus riscos ao fazer reportagens, verifique a versão autodirigida do curso na plataforma de aprendizagem online JournalismCourses.org.

Enquanto você estiver lá, verifique os mais de 35 outros cursos que você pode fazer no seu próprio ritmo.

Assine nossos boletins

Inscrever-se